"João Batista: Origem, Missão e Morte"

João Batista era filho do sacerdote Zacarias e Izabel, sua mulher, e exercia suas funções no turno de Abias. Izabel tinha como ascendente uma das filhas de Arão despontando-se na história bíblica como prima de Maria, mãe de Jesus. Ambos já eram idosos e não tinham filhos, apesar das constantes orações elevadas a Deus pelo casal, porque Izabel era estéril.

Estando Zacarias no exercício de suas funções sacerdotais, coube-lhe por sorte entrar no Santuário para a queima do incenso, ocasião em que o anjo Gabriel lhe apareceu em visão anunciando que Izabel daria à luz um filho e que seu nome teria de ser João. O casal residia em Judá, uma das pequenas cidades da região da Judéia, onde João Batista nasceu (Lucas 1.5-25 e 57-66).

 

Missão – Em cumprimento à profecia de Isaías (Isaías 3.40), João Batista apareceu pregando no deserto usando roupas e hábitos alimentares tão estranhos que causou admiração entre os habitantes da região, pois ele usava roupas de pelos e couro de camelo, e alimentava-se à base de gafanhotos, uma espécie de inseto de tamanho avantajado, próprio da região, e também de mel silvestre (Jo. 3.4).

João Batista foi designado por Deus desde o ventre de sua mãe para anunciar como profeta a chegada de Jesus, e também “preparar” o povo para receber a Jesus como o “Messias”, convocando a todos para batizar-se e confessar os seus pecados.

A todos João batizava, mas com os fariseus e saduceus ele era mais rigoroso, induzindo-os a deixar o orgulho de ser descendente de Abraão, pois por isso eles se consideravam melhores do que os demais povos. Essa descendência não tinha a menor importância, pois Deus pode suscitar das pedras descendentes de Abraão. Para esses João dizia: “produzam frutos dignos de arrependimento” (João 3.8). Jesus também se apresentou no Rio Jordão para ser batizado, João naturalmente se recusou a fazê-lo, porém Jesus insistiu em ser batizado explicando-lhe que assim deveria ser para que se cumprisse toda justiça, então João o batizou (Jo. 3.13-17).

Prisão e Morte – Herodes, o rei de Judá, incomodado por João Batista, que o recriminou dizendo: “Não te é lícito possuir a mulher do teu irmão”, mandou prendê-lo, mas Herodias que odiava o profeta por sua intervenção na vida do casal, queria matá-lo a qualquer custo, porém não podia fazê-lo porque ambos o temiam, pois sabiam tratar-se de um homem justo. Mas no aniversário de Herodes ela, aproveitando-se do banquete que no palácio era oferecido às autoridades com festa com danças, da qual sua filha participava e, tendo Herodes se agradado da beleza e sensualidade da jovem, prometeu-lhe dar o que ela pedisse. Por instrução de Herodias, sua mãe, ela pediu a cabeça de João Batista e, como era tradição a palavra do rei não voltar atrás, Herodes ordenou que João fosse decapitado sendo, dessa forma, morto na prisão (Jo. 6.14-29).

 

Com Estimas

Ridaut Dias Silva

Membro da IM em Tucuruvi
Dezembro/2013

Celebrações aos Domingos, às 9h e às 19h

Rua Ausônia, 310, Tucuruvi, São Paulo/SP

(11) 2203.8658 | comunicacao.tucuruvi@gmail.com

 

  • Grey Facebook Icon
  • Grey YouTube Icon

Jesus te ama

e eu também!

© 2013 by MINISTÉRIO DE COMUNICAÇÃO