O preço de uma distração

      Por causa de um mal-estar estive hospitalizado por três dias, o que me fez emagrecer dois quilos. Com alta hospitalar há dez dias, e já restabelecido, eu e minha esposa saímos para fazer umas compras. Foi uma operação rápida, apenas umas poucas coisas para a alimentação diária, volume que dividimos em dois para facilitar o transporte.

 

       Voltando com a compra, resolvemos nos pesar na balança da drogaria. Minha esposa se pesou primeiro e notou estabilidade no seu peso. A seguir soltei a pequena sacola no chão e coloquei no lugar apropriado da balança o celular e a carteira de documentos que trazia em uma das mãos. A balança registrou um quilo a mais do peso de dias antes. Desci da balança contando à minha esposa que havia engordado um quilo, e ficamos felizes, porque tenho estado muito abaixo do peso ultimamente.

 

      Chegamos em casa às 18,30h, tomamos a refeição da tarde e fomos ver os programas de tv que costumamos ver antes de dormir. Fui desligar o celular e não o encontrei e então liguei para ele a fim de localizá-lo. Não ouvindo sua chamada contatei a operadora comunicando o seu extravio; liguei para o banco cancelando o cartão; e à Polícia registrando a perda ou o roubo dos objetos. Esses prejuízos foram causados pela minha distração, pois fiquei empolgado com a recuperação de um quilo do volume perdido durante o tratamento no hospital.

 

     No dia seguinte a drogaria ligou avisando que os dois objetos lá estavam à minha disposição e me foram entregues em ordem e sem nenhuma exigência. Outros telefonemas foram necessários para comunicar o encontro dos objetos e desfazer o mal-entendido, mas a distração diante da balança causou todos esses transtornos e uma noite mal dormida para nós!

 

      A distração tem causado muito prejuízo e muita tristeza, pessoas têm ficado deficientes físicos, perdido a saúde, e muitas perdido a vida.

 

     Na nossa caminhada cristã o mundo nos acena com coisas “maravilhosas” que podem nos distrair empolgados com os valores e interesses humanos e carnais. Uma coisa importante, que é a saúde me fez distrair e passar por momentos de preocupação e intranquilidade, com pequeno prejuízo financeiro, que poderia ser grande se os objetos não fossem encontrados.

 

     Não podemos nos distrair com as coisas deste mundo que nos envolve com seus valores terrenos que pode nos custar o que há de melhor que Deus tem para nós, mas que depende de vivermos em comunhão com Ele, em vigilância e oração na busca do Reino de Deus em primeiro lugar, certos de que as demais coisas nos serão acrescentadas.

 

      Busquemos com dignidade o que necessitamos para uma vida abundante, que temos como promessa de Deus, mas estejamos vigilantes, nunca distraídos com esses valores que nos acenam com sucessos, riquezas e bens que, se nos distrairmos pode nos custar muito caro, pode nos roubar o privilegio de vivermos a vida com abundância, eternamente na presença maravilhosa do Pai, que só Jesus pode nos dar.

     
      Não vamos nunca nos distrair, nem nos empolgar com esses valores, porque o transtorno é terrível, e o preço a pagar alto e doloroso demais!

 

Com Estimas

Ridaut Dias Silva

Membro da IM em Tucuruvi
Abril de 2014