Árvores ocas

Como típica paulistana, sei que está cidade é uma roda gigante climática, em um mesmo dia é possível fazer as quatros estações do ano, porém no verão somos expostos ao extremo em todos os sentidos.

 

Por se tratar de uma cidade com muitos edifícios, asfaltos e veículos, somados a altíssimas temperaturas, todo o final de tarde somos contemplados com as famosas chuvas de verão que sempre trazem destruição e prejuízo.

 

São Paulo procura manter o mínimo de arvores possível numa tentativa de melhorar o predominante ambiente cinza, porém as próprias árvores são afetadas por viver nessa cidade desordenada, padecendo com a infestação de pragas urbanas que penetram em suas raízes, troncos e caules, sugando toda sua vitalidade, deixando apenas uma casca aparente.

 

Esta breve introdução tem o intuito de abordar algo que tem ocorrido com muita frequência durante as chuvas de verão de 2014/2015, onde temos assistido com perplexidade a queda de incontáveis arvores em diversos pontos da cidade, todas elas completamente ocas, apesar de seu exterior demonstrar beleza e força, seu interior é completamente doente e sem nenhuma vida, restando apenas sucumbir diante do poder dos ventos e das águas.

 

A queda destas imponentes arvores vem sempre acompanhadas de problemas, ou seja caem sobre casas, carros, redes elétricas, provocando transtornos que podem ser de pequena ou de grandes proporções.

 

Assim como as árvores em questão, nos seres humanos podemos desenvolver situações e condições em nossas vidas que nos tornam ocos interiormente. Talvez uma decepção, uma falta de perdão, uma perda e tantas outras questões que podem se instalar em nosso interior e nos trazer amarguras.

 

Esses sentimentos potencializados vão se alimentando em nosso interior e trazendo escuridão para nossas vidas e sugando toda a esperança, mesmo que nosso externo demonstre beleza, sorrisos, simpatia ou uma boa situação financeira, o interior não corresponde ao que vemos.

 

Desta forma quando essas pessoas são colocadas à prova e vem às tempestades da vida, infelizmente o seu belo exterior é ineficaz para mantê-los de pé, na verdade eles desabam diante dos conflitos e a queda é inevitável, tal qual a árvore oca que ao cair destrói tudo o que está em sua volta, geralmente a queda destas pessoas vazias também costumam trazer consequências para as pessoas próximas como familiares e amigos, ou seja, todos acabam sendo atingidos.

 

O Salmo 92 – versículo 12, 13 e 14 diz:

Os bons florescem como as palmeiras, eles crescem como cedros dos Montes Líbano.

Eles são como árvores plantadas na casa do SENHOR, que florescem nos pátios do Templo do nosso DEUS.

Na velhice produzem frutos, são sempre fortes e cheios de vida.

 

Aquele que está cheio de DEUS, que mantém sua vida firme em sua palavra, que procura ter uma vida de retidão não se desviando são como árvores fortes com suas raízes bem fincadas no solo, ela recebe toda a nutrição necessária para se manter firme.

 

Não vamos propagar a ilusão de que por estarmos com o SENHOR nada nos atingirá, sabemos que a tempestade que cai nas árvores ocas também cai sobre as árvores sadias, mas com um diferencial, as arvores sadias não quebram, não caem e não produzem prejuízos a sua volta, igualmente são aqueles que estão debaixo da proteção de DEUS, mantendo seu coração limpo, e não deixando que as impurezas deste mundo se instalem em seu interior, a tempestade vem, assopra, tenta derrubar, mas não consegue, pois seu interior é forte e suas raízes estão fincadas na rocha que é JESUS.

 

Quando as árvores ocas caem trazendo seu rastro de destruição, todos nós fazemos a mesma critica: “- Cadê a Prefeitura que não vê isso... Essas arvores precisam de poda...”

 

Assim como a Prefeitura tem a responsabilidade de detectar e cuidar de possíveis árvores doentes e infestadas de pragas urbanas usando de todos os recursos para recupera-las e em caso extremo corta-las, nos Cristão temos a obrigação de detectar nossos familiares, amigos e até mesmo irmãos na fé que estejam sofrendo da síndrome da árvore oca.

 

Devemos alimenta-los da palavra de DEUS, sermos solidários, entender suas limitações e trazer à memória de cada um deles aquilo que lhes traz esperança, como se estivéssemos injetando vitamina em seu interior, para que tudo que não vem da parte do SENHOR possa ser cortado e lançado fora.

 

DEUS tem um plano maravilhoso na vida de cada um de nos, ele não quer perder nenhum filho, portanto se você é uma árvore forte, que dá frutos que cresce na bonança do PAI, auxilie as arvores mais fragilizadas as que podem cair a qualquer momento, e não se iluda com a aparência imponente que muitas delas podem apresentar, pois isso é apenas uma casca, porque por dentro as mentiras e setas envenenadas do inimigo agem como cupins, destruindo toda a vida, a beleza e a esperança.

 

Que possamos ter um mundo repleto de árvores sadias!

 

Com Estimas

Luana Rafael Silva

Celebrações aos Domingos, às 9h e às 19h

Rua Ausônia, 310, Tucuruvi, São Paulo/SP

(11) 2203.8658 | comunicacao.tucuruvi@gmail.com

 

  • Grey Facebook Icon
  • Grey YouTube Icon

Jesus te ama

e eu também!

© 2013 by MINISTÉRIO DE COMUNICAÇÃO